Sobre ser uma mãe “heroína”

Sempre imaginei que um dia seria mãe. “Não dá pra passar por essa vida sem ter essa experiência”. Esse era o sentimento. Ao mesmo tempo, ficava muito angustiada pensando em tudo que teria que abrir mão. Me achava egoísta demais pra dar conta.

Resultado: acabei confirmando minhas suspeitas. Ser mãe foi, sim, a melhor decisão que já tomei na vida e não mudaria isso de forma nenhuma. Mas foi também onde encarei duras verdades sobre mim mesma.

Olhando pra tudo que as meninas já me fizeram viver, sentir e aprender, tenho absoluta certeza de que me transformaram num ser humano melhor. Mais consciente de quem eu sou, de como eu funciono e do que eu realmente preciso. E também mais generosa, comigo e com os outros.

Mas, como eu disse, vieram junto duras verdades. Se você é mãe, talvez se identifique.

Como mães somos capazes de expandir imensamente nosso coração. Entregamos até o que nem sabíamos que tínhamos pra dar. É um amor que traz junto tanta força e coragem que nem parece que vem da gente. É tão desafiador quanto maravilhoso. Gerar a vida, nutrir, cuidar e amar incondicionalmente. Um lugar lindo, que facilmente nos transforma em “HEROÍNAS”.

Mas foi nesse papel, o de heroína, que em certo momento me perdi. Me perdi dos meus limites e de mim mesma. Sabe quando fazemos sempre pelos filhos primeiro? Depois pelo marido? E, com o tempo, por mais gente que vai entrando na lista? Pois é… Sacrificar-se pelos outros traz méritos. Quando isso é feito pelos filhos, merece destaque especial. Quantos dos nossos “sim” e “deixa que eu faço” não trazem nas entrelinhas desejos de aprovação e reconhecimento (e uma disfarçada necessidade de controle)? Enquanto nossa real vontade e/ou necessidade é engolida em seco ou empurrada pra depois.

Já me vi nesse lugar um sem fim de vezes: deixando a “heroína” assumir o comando, ou por reconhecimento ou por controle. E, se me lembro bem, em todas essas vezes um escuro “lado negro” emergiu junto, fazendo todos em casa aguentarem uma mãe insuportável. No fundo era muito frustrante ter que abrir mão de mim pelos outros, inclusive pelas minhas filhas. Mas admitir isso era bem pior.

A sorte é que a vida não desiste de nós tão fácil e às vezes vence pelo cansaço. Ainda estou em processo, mas percebi que admitir minhas emoções é bem mais leve e mais fácil do que sustentar qualquer papel. Quando respeito e acolho o que sinto, quando me permito atender aos meus desejos (mesmo com medo de ser egoísta), fica bem mais leve dar conta do que precisa ser feito. E mais equilibrada a relação do dar e receber em família. Seu eu estiver bem, minhas filhas ficarão bem.

A verdade? Todo julgamento de “preciso” ou “não posso”, de “certo” ou “errado”, sempre veio de mim mesma. Da necessidade que eu tinha de viver uma maternidade perfeita (que nem existe). De limites e dificuldades que eu mesma impunha. Resultado de uma enorme insegurança e necessidade de controle que a vida inteira me acompanham.

Outra verdade? Abrir mão da aprovação dos outros passa por descer do pedestal. Passa por humildade e vulnerabilidade. A maternidade nos empodera e traz junto um amor sem fim, mas não nos faz indestrutíveis, nem superiores, nem autossuficientes. Pelo contrário, quanto mais cuidamos dos que amamos, mais precisamos de amor para restabelecer nossas forças. E o amor próprio é o mais importante deles. Sinto que não é egoísmo, mas uma questão de equilíbrio. Minha sugestão: experimente. 

Você traz as dúvidas e o Tarot ajuda a encontrar respostas


Uma conversa íntima entre você e o Universo.


No inconsciente moram nossas energias psíquicas – todos os pensamentos e sentimentos que experimentamos ao longo da vida, e com o tempo esquecemos ou enterramos. A partir dessas energias criamos crenças, bloqueios, medos, culpas e um sem fim de distorções que vão enrolando nosso caminhar ao longo da vida. Com o tarot conseguimos “ler” essas energias inconscientes, criando uma ponte de entendimento: compreender melhor o que acontece fora a partir do que estamos sentindo e vivendo dentro. Porque tudo sempre diz respeito a nós.


COMO ACONTECE O ATENDIMENTO?

Se você chegou nesta página é porque tem perguntas, questionamentos, pontos obscuros, dúvidas. E as cartas podem te ajudar a criar uma ponte de CLAREZA. Traga suas inquietações que, ao longo do nosso encontro, vamos colocá-las na roda e acessar as respostas que ela trazem a partir do seu interior e das energias que regem sua vida nesse momento. 

  • O atendimento será ONLINE e vai acontecer ao vivo pelo whatsapp. Cada atendimento dura em torno de uma hora e meia à duas (às vezes um pouco mais). Marcaremos um dia e horário onde você estará sozinhx, para conversarmos a sós e com calma, você, eu, as cartas e o Universo.

INVESTIMENTO

R$ 140,00 – pagos via cartão de crédito ou depósito bancário.

Se sentir que o Tarot pode te ajudar nesse momento, chame pelo whattsapp para combinarmos tudo:

(54) 98126.6169.

Ficarei imensamente feliz em te acompanhar.

com carinho, Lu

Jornada Pessoal da LUA NOVA


Uma Jornada ONLINE guiada pelo TAROT e pelas energias da Lua, em direção à sua reconexão interna.


POR QUE UMA JORNADA CONECTADA À LUA?

O mundo invisível – esse que não enxergamos, não podemos tocar e geralmente duvidamos que exista – move nossa existência mais do que podemos imaginar. Falo das energias que nos cercam, as energias que nos compõem, as que criamos, absorvemos e movimentamos a cada novo passo que damos através dessa vida. Tudo e todos somos feitos de energia. Nossos pensamentos, nossas emoções, nossos relacionamentos. Cada pequena ação, cada lampejo de sentimento que passa pelo coração, move essas energias. Dentro e fora de nós.

E todas essas energias são fluidas. A natureza delas é estar em movimento: chegar, mover (elas sempre mexem alguma coisa, em algum lugar) e seguir em frente. Não importa se as consideramos boas ou ruins. A vida não considera o valor que damos a elas. Esse julgamento é exclusivamente nosso.  

Com isso em mente – que todos somos feitos de energia e que todas as energias são fluidas – é fácil concluir que nosso estado natural também deveria ser o movimento. Fluir com a vida e com tudo que ela traz pra nós, tanto o que consideramos bom, quanto o que consideramos ruim. Mais ainda se lembrarmos que esse manter-se em movimento e no fluxo traz como pano de fundo a lei maior que nos rege – a impermanência. Nada nessa existência é fixo ou permanente. Nem a menor das partículas, nem o maior dos astros. O que não morre, se transforma.

Tão simples e tão desafiador, não?

Mas a Vida (ou a Força maior que a comanda) é muito generosa e, se parássemos para observa-la com mais consciência (como parte integrante do sistema e não seres superiores a ele), veríamos que ela está sempre pronta a nos ajudar nesse processo. O maior exemplo está na Natureza, e em seus infinitos e ininterruptos movimentos de nascer-crescer-morrer/transformar.  

Aqui entra a sabedoria milenar de acompanhar os movimentos da Lua e reconhecer o quanto essa energia pode nos ajudar.

A água é o elemento mais fluido que existe. Se adapta a qualquer ambiente e qualquer condição. Observar seus movimentos é aprender a fluir com liberdade pela vida, mesmo que da forma mais improvável (para chegar ao oceano, por vezes é preciso evaporar e transformar-se em chuva). No mundo holístico – incluindo o TAROT – falar de água é falar de emoções e da oscilação constante do nosso mundo interior. Não podemos negar: as emoções são as grandes responsáveis pela forma como nos movimentamos (ou não) pelo nosso existir. Quando nascemos, cerca de 70% a 75% do nosso corpo é composto de água. E não por coincidência, a porcentagem de água líquida sobre o planeta é praticamente a mesma.

Já a Lua, sabemos bem, exerce um grande poder gravitacional sobre as águas. Pra mim já é motivo suficiente pra acreditar em seu poder sutil – e real – de influenciar a vida de todos os seres minimamente “líquidos” do planeta (as mulheres, com seu ciclo menstrual e gestacional, principalmente). Além disso, várias civilizações antigas conectam a energia da Lua ao feminino – nosso lado Ying, interno, escuro, intuitivo, emocional, que inclusive os homens têm. No Tarot, a Carta da Lua refere-se exatamente a isso. E também às nossas ilusões e medos. 

Esse mundo invisível é imensamente rico em SIMBOLISMOS e INFORMAÇÕES, mas desaprendemos a ouvi-lo porque conversa com a gente de uma maneira não convencional, que vai além da nossa razão mental. As formas de comunicação também são diferentes: a intuição, os insights, as sincronicidades, as percepções sutis da realidade. O que não diminui seu poder e sabedoria. Esse é um mundo que move muito em mim. Nele encontro sentido, conexão, clareza e expansão. E a cada limite expandido, mais vontade de explorar, aprender e experimentar.

O TAROT é uma das ferramentas que mais uso nessa exploração. Já a sabedoria dos CICLOS LUNARES conheci em estudos do Sagrado Feminino e da Astrologia. Unir os dois foi um caminho natural e trouxe uma conexão ainda maior. Passei a prestar atenção no quanto minha energia oscila física, mental e emocionalmente ao longo das quatro fases da Lua (em torno de 28 dias, igual ao ciclo menstrual). E essa percepção ajuda a aproveitar melhor a energia específica de cada uma delas.


A ENERGIA da LUA NOVA

Na minha experimentação uma das fases mais significativas é a Lua Nova, que todo mês marca o recomeço do ciclo. Assim como no céu, também energeticamente é o momento mais escuro, sem luz. Momento de introspecção, de olhar para nosso interior (nosso lado escuro, Ying) e aquietar. Hora de procurar e perceber onde existe luz em nós mesmos. Fazendo uma analogia com as estações do ano, a Lua Nova é nosso inverno interior. Momento de limpar o terreno, organizar as sementes (focos/planos/projetos) que temos intenção de plantar e planejar como vamos executar esse plantio, que acontece perto da Lua Crescente – nossa primavera – tempo de nascer e florescer. A Lua Cheia representa o verão, o auge da nossa energia, vigor e expansão; quando vamos pro mundo e entregamos nosso melhor (nossos frutos). Durante a Lua Minguante vivemos nosso outono – fase de colher, avaliar os resultados do que estamos colhendo, pensar sobre o que não saiu de acordo e desapegar do que já não podemos mudar. E assim recomeçarmos o recolhimento e a preparação para um novo inverno (próxima Lua Nova).  

Não é linda essa sabedoria da mãe natureza? Os infinitos ciclos de vida-morte-vida nos inspirando a “morrer” e renascer também. Foi justamente essa possibilidade – o RENASCER – que inspirou a JORNADA DA LUA NOVA.


COMO SERÁ A JORNADA NA PRÁTICA?


A JORNADA é totalmente ONLINE e nosso contato acontecerá via whatsapp (marcaremos dia e hora para conversarmos ao vivo), conforme o formato de Jornada que você escolher, e com base nas informações da LUA NOVA em vigor no momento da sua compra.Veja abaixo como funciona cada uma.

SUGESTÃO 1 – JORNADA COMPLETA

A JORNADA COMPLETA passa por 4 ciclos lunares, ou seja, por 4 LUAS NOVAS (quatro meses), começando na Lua Nova que se seguir ao seu contato (e à confirmação da sua compra).

POR QUE 4 LUAS NOVAS?

Passsando por 4 ciclos lunares teremos a oportunidade de passar, pelo menos uma vez, por cada um dos elementos presentes tanto na Astrologia, quanto no Tarotfogo (motivação, espírito), terra (matéria, realização, ação), ar (mente, pensamento, intenção) e água (emoções). Dessa forma, a Jornada ganhará consistência e você poderá perceber a vivência com mais profundidade.

Partiremos de dois pontos:

  • Ponto 1 – o seu cenário pessoal, suas dores, dificuldades, dúvidas e limites a expandir. Com a ajuda do Tarot, a cada nova fase, vamos fazer uma checagem de como você está e o que tem sentido. Além disso, vamos verificar como se comportaram suas energias física, emocional e mental ao longo de todo ciclo anterior (se esteve animada, triste, ativa, introspectiva…). Assim você ganhará mais consciência sobre si mesma e perceberá nuances sutis que podem fazer muita diferença no seu bem estar.
  • Ponto 2 – além do Tarot e do Ciclo Lunar existem várias outras formas de “ler” as energias que exercem influência sobre sua vida diária. E ao longo dessa JORNADA vamos considerar algumas que podem ajudar bastante a clarear o cenário macro, como a Astrologia, que traz não apenas a energia do seu signo, mas também o signo em vigor e os trânsitos planetários específicos que influenciam cada período. Essa informação nos ajuda a nortear as perguntas que cada momento traz implícitas. Porque, quando se trata de Tarot, saber perguntar faz toda diferença. Além disso, vamos “passear” ainda pelo número que está regendo seu ano e também pelo seu oráculo Maia. Tudo isso vai nos dar informações valiosas sobre o “palco” em que a sua vida está sendo vivida.

SUGESTÃO 2 – JORNADA POCKET

Se você preferir algo mais curto, a JORNADA POCKET pode ser uma opção mais confortável, porque acontece como uma CONSULTA ÚNICA, ao mesmo tempo que investiga também seu Oráculo Maia e sua Numerologia do ano. Da mesma forma que a Jornada completa, esse atendimento será agendado com base nas informações da primeira Lua Nova que se seguir à confirmação da sua compra.


SUGESTÃO 3 – JORNADA SIMPLES

A JORNADA SIMPLES também acontece em CONSULTA ÚNICA e NÃO traz aprofundamentos detalhados do seu cenário macro (oráculos e numerologia), mas continuará trazendo orientações com base nas energias trazidas pela Lua Nova vigente no momento do seu contato. Essas orientações serão colocadas pelo Tarot como guiança personzliada para seu momento de vida dentro da Lua em questão. O atendimento será agendado a partir da primeira Lua Nova que se seguir à confirmação da sua compra.


Independentemente da Jornada que você escolher, o TAROT será nossa fonte de luz ao longo da caminhada. É como vamos iluminar o que está precisando de atenção na sua vida e também entender o que você precisa fazer a respeito, para que as energias de renovação de cada nova fase sejam aproveitadas da melhor forma e uma expansão na sua vida possa de fato acontecer.

INVESTIMENTO

JORNADA COMPLETA

  • R$ 645,00 – pagos em até 4X via cartão
  • ou R$ 610,00 à vista, via depósito bancário.

JORNADA PORCKET

  • R$ 215,00 – pagos em até 4X via cartão
  • ou R$ 200,00 à vista, via depósito bancário.

JORNADA SIMPLES

  • R$ 140,00 – pagos via cartão ou depósito bancário.

Se sentir que essa Jornada pode te ajudar, chame pelo whattsapp para conversarmos e organizarmos tudo: (54) 98126.6169. Enviarei também link/dados para pagamento.

Ficarei imensamente feliz em te acompanhar.

Com carinho, Lu

Avaliação: 1 de 5.

Nossas kriponitas

Há alguns dias ouvi duas perguntas de uma moça chamada Julia Duarte (@tristezinha, via @peresgram): “qual é a sua kriptonita?” e “se essa kriptonita tivesse nome, qual seria?”. O vídeo falava de sensibilidade e sobre como lidamos com nossos sentimentos e nossas maiores dores.

Sabe quando chega e fica? Passei alguns dias pensando nisso.

Já estava num processo de acessar e liberar memórias (exercício do @espirito.selvagem, com a @vanessa.normandes e @porpaulaquintao) e foi como se uma coisa completasse a outra. 

Muitas coisas que eu faço – que estudo, que chamam minha atenção, que experimento – me levam ao passado. É como se ele me chamasse. Adoro lugares, coisas e vivências que trazem o “aconchego de vó”, que têm histórias pra contar. Vejo muita beleza e arte ali. Assim como me fascina o mundo holístico e as sabedorias que permitem acessar os caminhos já trilhados, as memórias, o que já aprendemos e trazemos como bagagem dentro de nós. São como portais para lugares mágicos, igual os sótãos que eu adorava explorar quando criança, na casa da minha mãe e das minhas avós.

Mas não é no passado que eu vivo. Pelo contrário, tenho muita facilidade em esquecer, em me perder nas minhas memórias, em confundir datas e embaralhar detalhes. O futuro é um lugar mais confortável. Sei que o presente é onde as coisas acontecem e onde deveríamos ter atenção total. Mas meu coração pula – de alegria e de arrepio ao mesmo tempo – com a expectativa de coisas novas e diferentes.

E aí é que está o enrosco, como diz a Paula Quintão.

O mundo me chama lá fora. Eu vou pra janela e olho, encantada, pra tudo que vejo, pensando em tudo que posso aprender e visitar. Vou pra porta, louca pra sair e me jogar no mundo; abrir o peito e abraçar tudo e mais um pouco do que ele tem.

Mas atravessar a porta é minha kriptonita.

(E, ironicamente, toda novidade traz junto uma porta diferente pra enfrentar.)

Identifiquei esse medo numa memória de infância, dos primeiros anos de escola. A pior hora do dia era essa: atravessar a porta de grades que me levava pra rua. Passar por aquela porta era minha liberdade. Era tudo que eu queria, sair e poder voltar pra casa. Mas atravessa-la significava também enfrentar a pior das batalhas. Passar por um bando de meninos que estavam sempre lá, prontos pra me agarrar e me fazer sentir as piores sensações e sentimentos que me lembro ter experimentado.

Muitas meninas e mulheres passaram e passam por isso. Algumas levam de boa, outras devem entender o que digo. Eu, volta e meia passo por essa memória e não gosto do que sinto. Como eu disse, a minha kriptonita.

O nome dela? INSIGNIFICÂNCIA.

A dor que aqueles meninos me causavam era interna. Profunda. Porque mexia numa grande ferida: o medo de não ter valor no mundo. “Por que eu tenho que passar por isso todo dia? O que eu fiz pra merecer isso?” Queria desesperadamente que alguém me defendesse, me salvasse. E me mostrasse que, sim, eu importava e tinha valor. Mas ninguém conseguia. Profes e diretora acabavam sendo vítimas deles também. Embora eu só perceba isso hoje (naquela época eu sentia muita raiva), elas já tinham o suficiente pra lidar.

Daqui onde estou hoje vejo que a dor foi a menina quem viveu, mas a ferida é a adulta quem não consegue curar. Ainda me pego olhando para aquilo tudo com mágoa. Como se tivesse travado uma guerra particular. Lembro das inúmeras vezes que cheguei em casa chorando. Do quanto quis mudar de escola e do quanto desejei que todos eles morressem. 

Sim, daqui onde estou, percebo também o quanto assumi o papel de vítima. E o quanto deleguei o papel dos vilões. Acabei num esquema onde um silencioso vitimismo deu força à kriptonita e eu me acostumei, além de ficar do lado de dentro da porta, a buscar proteção atrás dos outros. Isso sempre trouxe muitos incômodos, mas os incômodos comodamente têm suas vantagens.

O Super Homem nunca encontrou um antídoto pra kriptonita. A solução sempre é se livrar dela o mais rápido possível. E imediatamente procurar o sol, que é a fonte dos seus poderes. Como simples humanos não sei se conseguimos nos livrar das nossas kriptonitas. Sou das que acredita que, quanto mais a gente olhar ela nos olhos e aprender a conviver, menor ela fica. Mas sumir, não sei não. O que eu sei é que, me esconder do lado de dentro tem me mantido segura e protegida da dor. Mas também me priva de todas as maravilhas que quero tanto experimentar. Então, já deu. To aqui, na soleira da porta, contando com o sol pra recuperar os meus poderes também. Hora de regenerar e voltar a voar.  

Jornada RE.ENCONTRO


Uma Jornada ONLINE conduzida pelo TAROT para REencontrar e REintegrar Você e o seu Caminho.


O QUE É A JORNADA?

É um processo e uma estrada que vamos percorrer juntos – eu, você, o TAROT e a energia maior que nos rege no Universo (você pode chamar de Deus, Anjo da Guarda, Eu Superior, Criador… da forma que fizer mais sentido). É uma estrada que seguiremos para dentro de você, para dentro de sua trajetória de vida e para alguns pontos que você sente que precisa ou gostaria de mudar no momento atual. Vamos acessar informações que muitas vezes passam desapercebidas… ou porque não paramos para observá-las ou poque não temos consciência delas.


POR QUE FAZER ESSA JORNADA?

Porque olhando com mais profundidade e carinho para a estrada que você já percorreu, para onde você está hoje, o que te trouxe até aqui e percebendo como se sente neste ponto, você conseguirá construir um panorama mais amplo da sua vida e da sua experiência. Como se você jogasse luz sobre você mesmx e sobre sua história.

No que isso ajuda? Traz clareza, amplia o ponto de vista, permite ver melhor e mais longe. E a partir dessa clareza você será capaz de integrar tudo que viveu (já dizem as leis sistêmicas – nada deve ser excluído), acolher tudo que sente e promover a primeira grande mudança – a forma como olha para si mesmo e para o que experenciou até aqui. Conseguirá compreender melhor o que se passa no seu coração, seus medos e alegrias, suas forças e fragilidades. Com mais clareza e entendimento, você encontrará motivo e força para seguir em mais ajustes. Afinal, a vida é um permanente estado de MUDANÇA e TRANSFORMAÇÃO. Tudo se desenrola em ciclos, inclusive a nossa história pessoal. Se você olhar para tudo que já viveu poderia escrever um livro. Todos poderíamos. E isso tem muito valor. O que acontece às vezes é que paralisamos em algumas encruzilhadas do caminho, sem saber para onde ir, nem o que fazer (nesse momento em que escrevo, por conta de um vírus planetário, estamos todos mergulhados num momento assim). E isso pode acontecer por vários motivos.

Falo isso como alguém que já passou várias vezes por esse lugar, de muitas dúvidas, questionamentos e total paralisia por não saber para onde, nem como ou porquê. Já fui alguém com muito medo de mudar. Não pela mudança em si (adoro mudar), mas por ter enraizado que o mundo considera volúvel e pouco confiável uma pessoa que gosta de mudanças. E isso foi motivo para muitos auto boicotes (às vezes ainda acontece). Mas um dia encontrei coragem para olhar o que dói, o que me move, o que me prende e porquê prende, o que expande, o que tem realmente valor, o que me realiza e o que me derruba. Aprendi a mergulhar em mim. A praticar auto observação e buscar auto entendimento. Procurei formas e ferramentas que pudessem me ajudar e, entre muitas, o TAROT foi um achado. Tornou-se um grande instrumento de CLAREZA e orientação. Um tradutor para mensagens que o inconsciente e o universo enviam, mas que nem sempre são fáceis de compreender.

Essa JORNADA de RE.ENCONTRO foi uma forma especial que encontrei de trazer essa possibilidade até você também. Vejo como uma grande lanterna que pode te ajudar a enxergar mais claramente a sua vida. Uma possibilidade de olhar para você mesmo(a) de forma mais PROFUNDA e AMOROSA, reconhecer e integrar tudo que já caminhou, tudo que já viveu. E, a partir daí, reencontrar e a si mesmo(a) novamente e a um caminho que faça sentido seguir daqui em diante. Não é uma salvação. A única pessoa que pode te salvar é você mesmo(a). O que ofereço aqui é uma forma de relembrar quem você é e o que já viveu, para ver melhor por onde continuar seguindo.


COMO SERÁ A JORNADA NA PRÁTICA?

Será totalmente ONLINE. Nos falaremos pelo whattsApp, em conversas semanais (com dia e hora marcada). A JORNADA É COMPOSTA POR TRÊS ETAPAS. Começaremos por clarear e acolher (aceitar) seus cenários, os que você já viveu e o atual; depois acolhemos a VOCÊ, olhando mais de perto para os seus sentimentos, medos e alegrias; por fim, clareamos o ponto que, neste momento, pede exploração e mergulho, porque ali está uma chave para promover as mudanças que a sua ALMA pede nesse momento.

Exploraremos uma etapa por semana, para que sua mente e seu coração tenham tempo de absorver, compreender e “assentar” as informações dentro de você. Cada etapa trará perguntas específicas, que serão respondidas pelo tarot e também por você. Junto(a)s vamos explorar o que é foco de cada etapa. Encontraremos nosso ritmo para seguir nas etapas seguintes.

É IMPORTANTE você saber que as respostas te trarão clareza, mas também pontos a investigar, meditar e liberar. Para isso, enviarei algumas dicas pessoais que podem te ajudar a ampliar a percepção e ajudar a colocar em prática alguns ajustes.  

As questões abaixo usaremos como guia para nossa Jornada, mas nos manteremos aberto(a)s e flexíveis para modificar o que for preciso, seguindo o que sentirmos no coração.


Como será cada etapa – e as perguntas que virão junto

ETAPA 1 – RECONHECENDO SUA JORNADA ATÉ AQUI

  1. De onde você vem?
  2. Como foi sua jornada até aqui?
  3. Em que ponto você está hoje?
  4. O que você sente quando olha para tudo que já viveu? (memórias)

ETAPA 2 – ACOLHENDO A VOCÊ DENTRO DA SUA JORNADA

  1. Como você se sente neste lugar onde está hoje?
  2. Desse lugar, o que mais te move, alegra e expande seu coração?
  3. Qual o medo que mais te paralisa?
  4. O que você sente que precisa mudar?
  5. Vamos tirar uma carta xamânica para te apoiar no seu auto acolhimento 

ETAPA 3 – OS PONTOS DE TRANSFORMAÇÃO / EVOLUÇÃO

  1. Para onde sua alma está te chamando a seguir daqui para frente?
  2. Qual o ponto que precisa de transformação para ser possível seguir?
  3. Por onde começar, qual o primeiro passo?
  4. Qual sua grande força para isso?
  5. Seu maior obstáculo? Como superá-lo?
  6. O que você precisa deixar para trás para que siga mais leve?
  7. Encerramento – uma carta xamânica vai indicar um animal de poder para te guiar nessa transformação.

INVESTIMENTO?

R$ 490,00

O pagamento pode ser feito de duas formas:

  • por depósito bancário – com 5% de desconto.
  • ou via Paypal, onde pode ser parcelado em até 4X.

Em ambos os casos, me chame pelo WhatsApp e eu envio os dados ou link pra você – (54) 98126.6169.

Será uma jornada linda de AMOR e ACOLHIMENTO a VOCÊ MESMO(A). Se tiver dúvidas, não exite em me chamar.

Se sentir que é hora de trilhá-la, chame pelo whattsapp para conversarmos e organizarmos tudo: (54) 98126.6169.

Ficarei imensamente feliz de te acompanhar.

Com carinho, Lu.

Avaliação: 1 de 5.
%d blogueiros gostam disto: