Impotência de mãe

Como seria bom com um colo resolver tudo. Com um beijo aliviar o peso do teu peito e curar esse coração que se angustia sem saber porquê. Tão jovem ainda que é pra entender.

Teu coração, desse jeito, deixa o meu minúsculo. Encolhido, comovido, compadecido. Ah se funcionasse por osmose! Transferia tudo que passa aí dentro pra mim, mesmo sabendo que isso é a vida começando te ensinar a ser forte.

Queria te dizer que vai ficar tudo bem. Que já está. Que provavelmente é só tua mente em dias mais desgovernados. Ou começando a perceber que, às vezes, coisas sutis e invisíveis nos afetam mais do que imaginamos. Que o coração está pesado porque começa a experimentar emoções que ele desconhecia. E isso muda o jeito como vemos o mundo.

Queria te dizer que tudo bem. Isso faz parte e vai passar. Só que sei: no fundo isso não resolve. Não consigo carregar o peso por ti, nem aliviar teu coração só com o meu desejo. E isso me faz impotente. Um dos piores sentimentos que já experimentei.

O que posso é isso: te PROMETER – assim, maiusculamente – que sigo aqui, do teu lado. Colo, beijos, abraços e amor em prontidão. Não posso te livrar. E sei que nem devo. Mas, enquanto tu deixar, vou te acompanhar. É tudo que posso te dar, junto com meu coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s