Tentando me aceitar

 O que você quer ser quando crescer? Já respondeu à essa pergunta alguma vez? Como não lembro se alguém já a fez pra mim, acho que nunca respondi. Se me fosse feita hoje, a reposta seria tão honesta quando simples: tudo que eu tiver vontade! E olhando pra trás, vejo o quanto a resposta teriaContinuar lendo “Tentando me aceitar”

A impermanência

Estou num pedaço da vida em que a impermanência faz parte da lista do que se aprende a respeitar. Aceitar. Conviver. Tenho a impressão de que isso demora um pouco. Pra mim, pelo menos, só chegou com a experiência, depois de já ter sido derrubada algumas vezes e ter brigado um bocado pra entender osContinuar lendo “A impermanência”

O poder do silêncio

Eu acredito no poder do silêncio. Aprendi a acreditar ali atrás, umas duas ou três esquinas antes. Até chegar aqui andei por vários caminhos e, em todos, algum barulho me incomodava. A princípio nada grave, mas, de repente, lá estava eu, tentando não prestar atenção aos incômodos. Talvez fossem meus ouvidos desenvolvendo maestria. Porque, àContinuar lendo “O poder do silêncio”

O ideal de vida que você chama de seu

Sobre saber o que você quer, o que acha que controla e a grama do vizinho Descobri isso recentemente — que ideais de vida podem ser uma roubada! Para alguns esses ideais já são criados lá atrás, cedo. Chegam aos 20 com a vida planejadinha e o foco é total na execução do plano. Outros vão construindo aContinuar lendo “O ideal de vida que você chama de seu”

Montanha russa | Sobre ser mãe … E otras cositas más

(texto originalmente publicado no Medium, em maio/2018)   Abril é o mês em que acontece o primeiro aniversário aqui em casa, o da Júlia, que há alguns dias chegou nos 12. Sempre tive vontade de fazer um diário… Deixar mensagens escritas para ela e a irmã, com coisas que me vinham à cabeça nos momentosContinuar lendo “Montanha russa | Sobre ser mãe … E otras cositas más”